Make your own free website on Tripod.com














História em versos


           A Boa Conduta de Pe. Henrique e a Construção do Lima

Ò, mousas celestiais
Dê-me Santa Inspiração
Pra eu versar a história
De um construtor alemão
Que também era vigário
Dessa nossa região

Aqui eu peço humilhado
Pra me dar boa rima
Pra eu versar as maravilhas
Que tem na Serra do Lima
Falar nas obras importantes
Que existe lá em cima

Vou relembrar as saudades
De quem já dorme em paz
Para atender um pedido
De quem me achou capaz
Do nobre Vice-prefeito
Senhor Severino Braz

Ele acha ser importante
Publicar todo passado
Da vida de Padre Henrique
Que trabalhou com cuidado
Morreu e deixou no Brasil
O seu nome imortalizado

Era Padre e construtor
De alta categoria
Construções predificadas
Com perfeição construída
Um grande autor das ciências
Da arte de engenharia

Deixou a sua família
Comovida, com saudade
E veio para o Brasil
Rompendo dificuldade
Afim de transmitir a todos
A Santa Luz da verdade

Além de ser sacerdote
Quatro cargos assumia
E trabalhava no pesado
Nas horas quentes do dia
A sua perseverança
Admirava a quem via

Foi dada a primeira ordem
Depois que Adão pecou
Para o homem trabalhar
Servindo a Deus com amor
Foi pesando nesta ordem
Que o Padre Henrique lutou

Celebrava a Santa Missa
E para o trabalho saía
Como quem deve a Deus Pai
A luta do dia a dia
Pois ele era dotado
Dos donos da sabedoria

Em cima da Serra do Lima
Fez a linda construção
Como quem ama a todos
Quem tem pura intenção
De expressar a sua fé
Humildes de coração

Ia fazer um ladeira
Para os que sobem a pé
E em seguida da estações
De Jesus de Nazaré
Para aumentar em todos
A plenitude da fé

Porém vendo que a morte
Já estava próxima a chegar
Ele disse vou agora
Minha sepultura cavar
A minha morada certa
Aonde breve irei morar

Deixando ali toda pronta
Com a maior perfeição
Colocou uma pedra em cima
Da forma de um caixão
Com uma cruz predificada
Por ser sinal do Cristão

Terminou sua batalha
Conforme a decisão
Hoje está sepultado
Já dorme no frio chão
Na esperança do dia
Da feliz ressurreição

Nelson Oliveira Dantas
Voltar